AAPPE devolve autonomia para idosos com entrega de próteses e cadeiras de rodas

A manhã da última quarta-feira (10) foi mais um dia especial e de muita emoção na Oficina de Tecnologia Assistiva da Associação de Amigos e Pais de Pessoas Especiais (AAPPE). Mesmo que as entregas das órteses, próteses e meios de locomoção (OPM’s) tenham se tornado uma rotina no local, as ações sempre trazem muita alegria para quem realiza a dispensação e para aqueles que recebem o equipamento.

A aposentada Ilináura dos Santos, mais conhecida como dona Zélia, vive com a ajuda de muletas e cadeiras de rodas há cinco anos desde que precisou amputar a perna esquerda após um corte em um dos dedos do pé.

Emocionada, a idosa de 67 anos, que recebeu uma prótese de perna, conta o quanto ficou contente com o equipamento novo e como a sua rotina irá melhor a partir de agora. “Quando eu usava prótese antes era muito melhor, mas então a que eu tinha tava toda desmantelada e fiquei esse tempo todo sem uma. Mas agora com a prótese nova vai ser muito melhor. Esse era o meu sonho, conseguir uma prótese, e agora vocês me deram uma”, desabafou dona Zélia.

Com o senhor Luiz Andreza da Silva não foi diferente ao receber o novo equipamento. A sua felicidade podia ser vista de longe. O aposentado foi mais um dos beneficiados com a dispensação de OPM’s nesta amanhã. O idoso foi contemplado com uma cadeira de rodas motorizada, o que agora permite que ele tenha mais mobilidade e assim maior qualidade de vida, além de mais autonomia, o que o oferece mais facilidade em se locomover.

De acordo com o Terapeuta Ocupacional e coordenador da OPM, Jesimiel de Gusmão, por mês são entregues de 40 a 50 cadeiras de rodas e até 10 próteses e 10 órteses. Entre outros serviços, cerca de 250 pacientes são atendidos na oficina mensalmente. Tudo de forma gratuita, através do Sistema Único de Saúde, e em parceria com a Secretaria do Estado de Saúde (Sesau).

“Esse serviço é de grande valor para os nossos pacientes. Muitos acabam perdendo a locomoção de alguma maneira, e isso causa problemas psicológicos, alguns entram em processo depressivo. Então nós estamos aqui pra mudar isso. Com os equipamentos, os pacientes conseguem maior autonomia, realizando as suas atividades diárias com mais facilidade”, explicou coordenador da OPM

Acesso ao atendimento.

Segundo o TO, para ter acesso aos atendimentos e serviços oferecidos pela AAPPE na Oficina de Tecnologia Assistiva, o paciente precisa ir até o local e ter em mãos a documentação original (RG e CPF), comprovante de residência, cartão do Sistema Único de Saúde (SUS) e a solicitação médica.

Jesimiel lembra ainda que, em muitos casos, a população não possui o encaminhamento médico, mas que isso, na AAPPE, não é um empecilho. Mesmo sem o documento, a equipe da oficina cuida de todos os processos para que o paciente possa ter acesso aos benefícios.

“Quando o paciente não possui a solicitação médica, nós marcamos uma consulta aqui mesmo, realizamos tudo com a nossa médica fisiatra. Logo, o paciente fica no aguardo e quando o equipamento chega, nós entramos em contato com a pessoa”, completou o coordenador da OPM.

Conforme informou a analista administrativa da OPM, Edcllea Rodrigues, a equipe oferece toda a assistência e o suporte necessário para o paciente, mesmo após a entrega dos equipamentos. “Nós vemos a grande necessidade desses pacientes. E que, quando recebem uma cadeira motorizada, por exemplo, eles precisam ainda de uma manutenção, de ajustes e orientação, adaptação, um conserto e hoje a oficina auxilia de uma forma geral, não apenas fazemos a dispensação, mas a gente dá a manutenção desse benefício que oferecemos ao paciente”, disse.