Capacitação aprimora atendimento para pacientes com autismo na AAPPE

Profissionais da Associação de Amigos e Pais de Pessoas Especiais – AAPPE participam de um programa de capacitação para aprimorar o atendimento a pacientes com Autismo e/ou Transtorno do Espectro Autista (TEA). Atualmente, a organização, que está instalada em Maceió, Santana do Ipanema e Penedo, atendente 80 pacientes com o transtorno. 

De acordo com Jadson Souza, psicólogo e coordenador do Centro Especializado de Reabilitação da AAPPE (CER), o treinamento teve como abordagem principal do Programa TEACCH. Esse programa desenvolve a abordagem de intervenção chamada “structured TEACCHing”, que em português quer dizer ‘ensino estruturado’. 

“Reunimos mais de dez terapeutas com formação em psicologia, terapia ocupacional, fonoaudiologia e pedagogia para discutirmos a construção de um Plano Terapêutico singular/individual para esses pacientes, além de outros temas como abordagem com as famílias, laudos e redações científicas, estruturas de trabalho e dinâmicas de atendimento. Nosso serviço precisa está preparado para atender da melhor maneira possível essa crescente demanda e é a partir de capacitações que conseguiremos obter melhores resultados”, destacou o coordenador. 

A Sociedade Americana de Autismo destaca alguns comportamentos e características de crianças entre 1 a 3 anos de idade que podem levar a suspeita do diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista. A principal delas é a dificuldade de relacionamento com outras crianças, seguida do pouco ou nenhum contato visual, insistência em repetição e resistência à mudança de rotina. 

Outros comportamentos que podem despertar um alerta nos pais é a aparente insensibilidade à dor, a preferência pela solidão, a rotação de objetos, a inapropriada fixação em objetos, hiperatividade ou extrema inatividade, não ter real medo do perigo, recusa colo ou afagos e a dificuldade em expressar necessidades – usa gesticular e apontar no lugar de palavras. 

Para Jadson Souza a temática Autismo tem sido motivo de muito interesse e necessidade no sistema de saúde. “A cada dia existe um aumento significativo dos casos, algo que intriga diversos profissionais da saúde e cientistas. É a partir desses espaços que conseguiremos construir uma proposta de atendimento de referência para Autistas com técnicas eficientes e resultados que proporcionem melhor qualidade de vida, tanto para o usuário, quanto para a sua família que também necessita de atenção e cuidado”.